15Junho2024

  
 

Segurança & Defesa

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

No Rio de Janeiro, o George Washington

No último dia 20 de maio, após o término de uma fase da Operação “Southern Seas - 2024”, chegou à Bahia da Guanabara uma força naval composta por três navios da Marinha dos Estados Unidos — o navio-aeródromo nuclear USS George Washington, o contratorpedeiro da classe “Arleigh Burke” USS Porter e o navio de reabastecimento John Lenthall, da classe “Kaiser” — e um da Guarda Costeira, o cutter James, da Guarda Costeira. A frota norte-americana, que entre os dias 15 e 20, estava participando de manobras com a Marinha do Brasil e a Força Aérea Brasileira, ainda realizaráá operações com Uruguai, Argentina, Chile, Equador, Peru e Colômbia. O exercício “Southern Seas 2004” também marcou a comemoração dos 200 anos de relações diplomáticas entre o Brasil e os Estados Unidos.

Na operação, a Marinha do Brasil empregou as fragatas Independência e União, bem como helicópteros UH-15/AH-15B Super Cougar e os AH-11B Wild Lynx, os caças AF-1 Skyhawk, enquanto a FAB participou com aeronaves F-5EM Tiger da FAB. A U. S. Navy utilizou caças F/A-18 E/F Super Hornet e F-35C Lightning II (esses pela primeira vez no Brasil), aviões de guerra eletrônica EA-18G Growler, aeronaves de alerta aéreo antecipado e controle E-2C Hawkeye, e helicópteros SH-60 Seahawk, todos integrantes da Ala Aérea do USS George Washington.

A possibilidade de operar em conjunto com as Marinha americana sem dúvida aprimora a interoperabilidade das forças envolvidas, elevando a sua capacidade de atuação conjunta aos padrões de uma força bem treinada e equipada, preparada para atuar em diferentes cenários e contra uma variada gama de ameaças, de sofisticação crescente. Fortalecendo a parceria marítima com a nossa Marinha, ao longo do tempo em que se exercitaram conjuntamente, as tripulações dos nossos navios puderam vivenciar importantes experiências, que certamente não poderiam conhecer sem o intercâmbio com uma força como a norte-americana.

Dois oficiais da MB, o Capitão de Fragata Emanuel Ramos Ferreira e Capitão de Corveta Rodrigo Moreira da Silva, embarcaram no USS George Washington em 29 de abril, na Estação Naval de Mayport, na Flórida, e seguirão viagem com a tripulação até El Callao, no Peru, com desembarque previsto para 21 de junho.

Desde sua entrada na Baía de Guanabara o George Washington chamou atenção por suas enormes dimensões (332,5m de comprimento e 104.000 toneladas de deslocamento) e pelas aeronaves em seu convés de voo. Na manhã de 21 de maio, a convite da Assessoria de Imprensa da Embaixada Americana e do Consulado Geral dos Estados Unidos, jornalistas foram levados a bordo para conhecer o navio e suas ala aérea. No interior de seu hangar, além de uma exibição estática das aeronaves F-18F Super Hornet e F-35C Lightning II e de seus principais armamentos convencionais, chamou atenção a grande fila de tripulantes licenciados, que ordenadamente aguardavam sua vez para desembarcar e conhecer o Rio de Janeiro.

O USS George Washington visita o Rio de Janeiro pela segunda vez (a primeira foi em novembro de 2015), e trouxe como absoluta novidade os F-35C Lightning II do esquadrão VFA-147. O Lightning II é um caça moderníssimo, que integra uma avançada tecnologia furtiva (stealth) numa célula altamente manobrável e que provê ao piloto uma completa consciência situacional, que assegura sua sobrevivência e letalidade na arena do combate aéreo moderno. Até a presente data, essas aeronaves não haviam sido empregadas operacionalmente na América do Sul, e despertaram enorme curiosidade (Texto de fotos: Vinícius Cavalcante).

Acima O Almirante Alexis T. Walker, Comandante do Carrier Strike Group 10, recebe um exemplar de “Segurança & Defesa”.