22Setembro2018

   
  
   

Segurança & Defesa

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Edições Anteriores de S&D

 Veja as edições anteriores da Revista S&D!

CLIQUE AQUI PARA ADQUIRIR NÚMEROS ATRASADOS DE S&D


 

Edição 129

Super Tucano no mercado de aviões de ataque leve

O Embraer EMB-314 Super Tucano, ou A-29A/B para a Força Aérea Brasileira (FAB), vem se firmando no mercado mundial como uma das melhores, senão a melhor, aeronave de ataque leve disponível. Este artigo analisa sua origem, o status atual do programa e as perspectivas comerciais futuras.

Considerações sobre o engajamento de alta performance de FOpEsp

Pelo próprio tipo de missões empreendidas pelas Forças de Operações Especiais, os engajamentos — quando ocorrem — sempre demandam uma elevada performance operativa. É exatamente sobre esse aspecto que este artigo  se concentra.

Navio Porta-helicópteros Multipropósito: renovação do “conjugado anfíbio” da MB

Em artigos anteriores, foram examinadas as diversas classes de navios de assalto anfíbio (dos tipos LPH, LHA e LHD), existentes ou em projeto nas diferentes Marinhas. Dando continuidade àqueles trabalhos, este texto analisa as capacidades do LPH britânico, adquirido pela Marinha do Brasil, bem como o emprego potencial deste tipo de navio, no papel de integrante do “conjugado anfíbio” e capitânia da Esquadra brasileira.

A realidade orçamentária da Defesa no Brasil

Este texto procura analisar os orçamentos anuais do Ministério da Defesa e das Forças Armadas ao longo da última década e os efeitos da crise financeira dos últimos anos, assim como as perspectivas da Defesa no Orçamento da União para 2018. 

Ejército Nacional de Colombia: atualidade e perspectivas

Ultrapassada a fase de intensos conflitos com as Fuerzas Armadas Revolucionárias de Colombia (FARC), o Ejército Nacional de Colombia (ENC) redefine seu foco e suas necessidades para cumprir seu novo papel. Esse é o tema principal do texto deste artigo.

ARA San Juan: o longo caminho da tragédia

O presente artigo descreve a trajetória dos submarinos classe “TR1700” na Armada de la Republica Argentina (ARA), desde sua construção até o triste acidente com o San Juan (S-42). O texto pretende salientar alguns pontos que podem ter contribuído para o que ocorreu, e descreve o triste estado da Fuerza de Submarinos da Argentina.

E MAIS:

Manipulação das Grandes Potências pelos países periféricos 

Contramedidas de minagem 

O caça multifunção Su-35

Mitos perigosos 


 

Edição 128

Modernização de Carros de Combate

O Carro de Combate (CC) pesado continua sendo o principal sistema de combate dos exércitos. É o único sistema terrestre que oferece proteção, mobilidade e poder de fogo em um “pacote” único. Embora preferencialmente empregado de forma ofensiva, ele é igualmente capaz de taticamente executar uma defesa altamente eficaz. Além disso, tem a capacidade de transicionar da defesa ao ataque em segundos, sem solução de continuidade.

‘SitRep’ do Gripen NG

Este artigo analisa as principais novidades e atualizações do programa Gripen NG, que será o futuro avião de combate multifuncional da Força Aérea Brasileira (FAB). Concentrar-nos-emos no status atual do programa, principalmente no que se refere à versão brasileira da aeronave.

NPaOc na Marinha colombiana

Navios-Patrulha Oceânicos (NPaOc) são projetados para uma série de missões que vão desde combate a ilícitos no mar até participação em operações militares de baixa intensidade, passando por proteção da Zona Econômica Exclusiva (ZEE), presença, manutenção da soberania, busca e salvamento e outras. Para isso, a polivalência é para os NPaOc uma característica indispensável. Este artigo trada do seu uso pela Armada Nacional de Colombia (ANC).

Fuerza de Despliegue Rápido

A Fuerza de Despliegue Rápido (FDR) foi criada pela Resolución del Ministerio de Defensa Nº 1633, e se constitui na primeira resposta para problemas que demandem de forma imediata o emprego do instrumento militar. Trata-se de uma força de reação rápida, apta a ser desdobrada em diferentes regiões do país e em todo tipo de condições climáticas. Sua missão é realizar operações ofensivas de combate em zona desértica, montanha, selva e planície.

Força 3: OpEsp do EB na Amazônia

A Amazônia brasileira é conhecida por ser pródiga em superlativos. Na imensidão verde de suas florestas encontram-se riquezas ainda não estimadas, culturas ainda incompreendidas e áreas cujo potencial é amplamente desconhecido. Esse é o ambiente onde opera a 3a Companhia de Forças Especiais (3aCiaFEsp) do Exército Brasileiro (EB), a "Força 3".

E MAIS:

• Agir agora!
• Rio: uma nova proposta para a segurança
• Armamento para helicópteros no Brasil
• Radares argentinos
• AmazonLog 2017: EB foca na Logística Humanitária
• O porquê das derrotas norte-americanas 
• Coletes balísticos  


Edição 127

Infantería de Marina colombiana: atualidade e perspectivas
O Cuerpo de Infantería de Marina da Armada Nacional de Colombia é um dos maiores do mundo, com um efetivo mais de 21.000 homens e mulheres. Entretanto, não possui o equipamento necessário para realizar operações de desembarque anfíbio que tenham importância estratégica. Isso se deve principalmente à sua orientação antissubversiva, produto do prolongado conflito interno que assolou a Colômbia e que exigiu a otimização dos investimentos e a orientação da força à segurança terrestre e fluvial frente a uma ameaça real, e não à projeção estratégica de poder para hipóteses que conflito que talvez nunca se materializem. 

S&D Entrevista: o Presidente da COPAC
Através de Ricardo Pereira Azevedo e Mário Roberto Vaz Carneiro, “Segurança & Defesa” entrevistou o Brigadeiro do Ar Márcio Bruno Bonotto, presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC).

Formação de pilotos militares na Argentina
O artigo abaixo dá uma visão do atual sistema argentino para formação de pilotos militares, cobrindo as atividades e os problemas presentes, bem como os futuros.

Navios de Apoio Logístico: multiplicadores de força
Este artigo analisa a importância das unidades de apoio logístico móvel para a ampliação da capacidade oceânica de uma Marinha, com foco nos navios que são empregados para o reabastecimento no mar das unidades de combate de superfície que integram uma Esquadra.

SARP nas operações marítimas
O artigo que se segue dá uma panorâmica do cenário atual dos Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas (SARP) dedicados a operações em cenários marítimos.

E MAIS:
• Avançando pelo labirinto: procedimentos de progressão em ambiente urbano por FOpEsp
• Le Bourget 2017: poucas novidades, mas valeu
• IMDS 2017: vitrine naval em São Petersburgo
• O que deu errado?


 

Edição 126

IV Brigada Aerotransportada: berço dos PQDT do EA

Durante a Segunda Guerra Mundial, os principais beligerantes constituíram suas respectivas formações paraquedistas, no âmbito de seus Exércitos ou Forças Aéreas. Esse fato intensificou o interesse do Ejército Argentino (EA) em dispor de unidades desse tipo em sua organização, de forma a satisfazer as exigências da defesa do vasto território do país.

LAAD 2017: convivendo com a crise
Contando com a presença de diversas autoridades, inclusive o Presidente da República, Michel Temer, e o Ministro da Defesa, Raul Jungmann, realizou-se no Riocentro (Rio de Janeiro), entre 4 e 7 de abril, a LAAD Defence & Security 2017, 11a edição da já conhecida feira.

Comentários sobre Guerra Litorânea
Ao longo da história, as operações no litoral têm apresentado grandes desafios e substanciais perigos. Nessa área, a liberdade de manobra que existe no mar aberto cessa, à medida que as complexas influências da massa terrestre se fazem sentir. Comercialmente, essa área abriga vastos recursos, incluindo a maioria das atividades pesqueiras e de exploração offshore de petróleo, e é também ponto de convergência de rotas marítimas, como é o caso dos estreitos de Hormuz e Málaca.

O crocodilo com dentes maiores
O legendário helicóptero Mi-24, conhecido pelo codinome “Hind”, dado pela OTAN, foi apelidado de “Crocodilo” por sua capacidade de combate. Um significativo aperfeiçoamento do Mi-24 levou ao Mi-35M, uma aeronave que combina uma série de inegáveis vantagens, e que compete no mesmo nível com material similar estrangeiro.

Defesa Antiaérea na Marinha do Brasil
Este artigo analisa as capacidades passadas, presentes e futuras da MB na área da defesa AAé de seus meios, concentrando-nos no emprego de mísseis, e deixando de fora o armamento de tubo.

E MAIS:
• Entrevista Teniente General Diego Luis Suñer, do Ejército Argentino
• Trump, Obama, Putin e a Síria
• Armamento ar-superfície da Fuerza Aérea Colombiana
• Conjunto de Operações Especiais: tendência para o Brasil?
• A tecnologia no combate ao terror


Edição 125

Aviões de Combate Multifuncionais
A multifuncionalidade, ou a capacidade de cumprir vários perfis de missão, é o principal ponto a destacar nos aviões de combate de 4a geração em diante, sendo esse o seu maior diferencial em relação aos caças anteriores. Aqui analisaremos o atual cenário na área, com foco nos principais caças multifunção em serviço ou prestes a entrar em produção.