04Julho2022



 

Segurança & Defesa

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Embraer e Exército Brasileiro assinam contrato para aquisição de quatro radares SABER M60 adicionais

 A Embraer e o Exército Brasileiro assinaram contrato para ampliar o uso dos radares SABER M60 nas Unidades de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro. O anúncio foi realizado durante a edição 2022 da FIDAE (Feria Internacional del Aire y del Espacio), evento que ocorre de 5 a 10 de abril, no Aeroporto Internacional Arturo Merino Benítez, em Santiago, no Chile. Esta ampliação contará com a aquisição de quatro unidades adicionais de radares, em sua versão 2.0, e reforça a parceria estabelecida entre o Exército Brasileiro e a Embraer no contínuo desenvolvimento, implantação e aprimoramento de Meios de Emprego Militar (MEM), que contribuam para aumentar as capacidades de atuações dessas Unidades.

A obtenção dos Radares SABER M60 está prevista no Planejamento Estratégico do Exército Brasileiro 2020-2023 e amplia a capacidade operacional da Força Terrestre. Sinaliza o compromisso com a missão constitucional de Defesa da Pátria e contribui, também, para a ampliação de parcerias entre o setor público, o meio acadêmico e a indústria, a fim de buscar o domínio de tecnologias críticas na área de defesa.

O SABER M60 é um radar de busca que integra um sistema de defesa antiaérea de baixa altura, visando a proteção de pontos e áreas sensíveis como indústrias, usinas e instalações governamentais e de tropas desdobradas no terreno. Com tecnologia 3D, possui alcance de 60 quilômetros e até 16.400 pés de altura e permite rastrear até 60 alvos simultaneamente, incluindo a detecção e classificação automática de alvos. De fácil montagem e transportabilidade, pode ser montado em até 15 minutos, e possuindo tecnologia LPI (Low Probability Interception), o que permite alta capacidade de atuar na identificação de alvos sem ser facilmente identificado.

O SABER M60 pode ser integrado aos sistemas de armas baseados em mísseis ou canhões antiaéreos e pode ser customizado para ser integrado em qualquer outro sistema de defesa aérea, como o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA) (Foto: ST Orlando / CCOMSEx).