27Janeiro2021

       
   

Segurança & Defesa

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Il-76MD-90A: um passo à frente para a aviação de transporte da VKS

Ao longo de 2020, a indústria aeroespacial russa acelerou a entrega de aeronaves de transporte para as Força Aérea russa (VKS —Vozdushno-kosmicheskie sily). Recentemente, em 6 de dezembro, teve lugar o voo inicial do terceiro Il-76MD-90A construído na Ulyanovsk Aviastar-SP JSC (parte da United Aircraft Corporation JSC). O contrato entre a UAC e a VKS cobre o fornecimento de 39 Il-76, conhecida nos países da OTAN como “Candid”.

Mas o que há de novo nessa versão? Especialistas russos dizem que o 90A “é uma aeronave totalmente nova”, pois a aeronave dispõe de novos motores e um moderno sistema de voo e navegação. Durante a época da URSS, o Il-76 era produzido em Tashkent, que hoje faz parte do Usbequistão. Por isso, a produção foi transferida para Ulyanosvk, às margens do rio Volga. O fato de que agora são usadas máquinas de controle numérico, digitais, permitiu um significativo aumento no ritmo de produção. O 90A tem uma nova asa, quatro motores PS90A-76 (fabricados pela Perm), cada um com empuxo de 14.500kgf, trem de pouso reforçado (permitindo o uso de pistas não preparadas), sistemas de aviônicos e de navegação modernizados, uma suíte de autodefesa contra mísseis antiaéreos (com interferidores nas faixas infravermelho, ultravioleta e laser, bem como interferidores de radar). A aeronave dispõe de um “glass cockpit,” que inclui seis telas coloridas, e também um novo sistema de evacuação de emergência.

O compartimento de carga tem 3,45m de largura e 3,40m de altura permitindo o transporte de vários modelos de carros de combate e lançadores de foguetes. Na configuração de nível único, o 90A pode transportar 126 paraquedistas (ou 145 soldados) completamente equipados, total que pode ser aumentado para 225 se for adotada a configuração de dois níveis, e sua vida útil é de 30 anos, podendo ser prolongada.

O avião pode transportar 60t de carga a distâncias de 4.000kg, ou 40t a até 6.500km, o que equivale à distância de Mursmank a Seattle. A partir de Irkutsk, a aeronave pode alcançar qualquer porto da china, Índia ou Oriente Médio. Os novos motores são muito mais silenciosos e consumo de combustível (187g/t/km) permite a aplicação em operações comerciais. Até o momento, quase 900 exemplares do Il-76 já foram produzidos, e o modelo foi exportado para mais de 30 países, para emprego militar e civil, em tarefas que incluem combate a incêndios.

I 90ª poderá abrir uma nova página na história do “Candid”. Durante o outono, a Rússia fez demonstrações para uma delegação indiana de como empregar o Il-76 para “carpet bombimg”, ou seja, bombardeio de saturação sobre uma área. O Ministério da Defesa divulgou um vídeo mostrando a aeronave realizando bombardeio e disparando canhões contra alvos terrestres, tudo isso executado por tripulações russas da região de Tver, domo parte de uma checagem de controle. A altitude variou de 300m a 1.000m, e as velocidades superaram os 500km/h. Segundo informado, os voos foram feitos pro tripulações dos regimentos aéreos de Tver, Pskov e Ivanovo, com cada um dos tripulantes voando pelo menos três missões. A Índia já opera uma frota de Il-76 para transporte, além de sete Il-78 de reabastecimento aéreo, o que permitiria a realização desse tipo de operação.

De acordo com estimativas, no futuro próximo os grandes operadores mundiais de aviões de transporte vão renovar suas frotas, e os fabricantes russos pretendem abocanhar uma boa fatia desse mercado. As mais novas aeronave russas especiais e de transporte da família Illyushin têm excelentes chances de obter exportações, devi à sua confiabilidade, relação custo/benefício e aperfeiçoamento aerodinâmico.

A variante de exportação, designada Il-76MD 90A(E) vem sendo comercializada pela Rosoboronexport e será mostrada na feira Aeroindia-2021. A ROE vai aproveitar eventos como o MAKS, e o Army, para demonstrar a aeronave para clientes em portncial da Comunidade dos Estados Independentes, Ásia, África e América Latina.