14Outubro2019

 
   
    
    

Segurança & Defesa

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Edição 135

KC-390: a (r)evolução no Transporte Aéreo Militar

Ultimamente, duas notícias têm agitado o mercado mundial de aeronaves de transporte militar: o início das entregas dos KC-390 de produção à Força Aérea Brasileira (FAB) e o fechamento do primeiro contrato de exportação da aeronave, para Portugal, no mês de agosto deste ano. Não se deve esquecer, entretanto, do peso que a maior indústria aeronáutica do mundo, a Boeing, terá nos esforços de marketing e no suporte ao KC-390 em nível mundial, em função da sua associação com a Embraer, numa joint venture destinada a promover as vendas da aeronave.

IMDS 2019: foi bem, mas... e o futuro?

Por decisão do governo russo, o 9th International Maritime Defense Show (IMDS 2019) teve lugar de 10 a 14 de julho de 2019, em São Petersburgo, sendo o comitê organizador do evento dirigido pelo Vice-Ministro da Defesa, Yury Borisov. A feira contou com o apoio total dos Ministérios da Defesa, Indústria e Comércio e Relações Exteriores da Rússia, além do Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar, da Rosoboronexport e do governo de São Petersburgo. O operador do IMDS-2019 foi a Morskoy Salon Co. Ltd.

Os CVE e sua contribuição na Batalha do Atlântico (1ª parte) 

Maio de 2019 marcou o 76º aniversário da “virada” decisiva na Batalha do Atlântico, durante a Segunda Guerra Mundial. Este artigo examina a contribuição do Navio-Aeródromo (NAe) de escolta (conhecido pela sigla CVE, em inglês) para aquela campanha marítima, de cujo resultado dependia o prosseguimento da luta contra o Eixo. A neutralização da ameaça submarina alemã em 1943 possibilitou o desembarque das forças aliadas na Normandia, em 1944, o que acelerou a vitória final contra a Alemanha nazista, em 1945.

A nova corrida armamentista

Com raras exceções, os gastos em defesa têm aumentado praticamente em todo o mundo, de uma forma nunca antes vista desde o período da Guerra Fria (1947-91). Os países envolvidos naquele conflito diminuíram, gradualmente, seus gastos com Defesa durante a chamada Nova Ordem Mundial (inaugurada em 1991, com o fim da URSS) até que os mesmos chegassem a níveis inferiores a 2% do PIB (em comparação a dispêndios que excediam os 6 ou 7% do PIB). Todavia, mais recentemente, vem sendo observado que, em face das novas tensões que estão se desenvolvendo, particularmente no segundo decênio do século XXI, grande parte desses países, e alguns novos players, voltaram a investir pesadamente na Indústria de Defesa.

E MAIS:

Museo de Aeronáutica y Astronáutica 

Artilharia Antiaérea do Ejército Argentino 

Mulheres nas Tropas de OpEsp 

Operações Antinarcóticos na Colômbia