24Junho2017


 

 

 

Segurança & Defesa

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Advance Force Pearl Harbor

Durante décadas, as histórias do ataque japonês a Pearl Harbor, em 7 de dezembro de 1941, concentraram-se primordialmente na atuação da aviação naval nipônica. 

A atuação da força de submarinos japonesa não é bem conhecida, daí o interesse especial que a nova edição essa obra de Burl Burlingame desperta entre os estudiosos da guerra naval. No espaço de tempo que decorreu entre 1992 — ano da primeira edição — e a atualidade, vários documentos deixaram de ser sigilosos, o que permitiu que se refinassem muitos dos aspectos de que trata o texto. Ao todo, trinta submarinos compunham a Força Avançada japonesa; desses, três davam cobertura à força de superfície, dois estavam envolvidos em reconhecimento no Pacífico e nas Ilhas Aleutas, vinte destinavam-se a bloquear Oahu e outros cinco transportavam submarinos midget, que lançados próximos a Pearl Harbor, tinham como missão infiltrar-se no porto e atacar os navios lá abrigados. É exatamente esse aspecto que torna o livro tão interessante. Cada um dos midget era tripulado por dois homens, e desses dez tripulantes apenas um sobreviveu: Kazuo Sakamaki, comandante do I-24tou, foi capturado pelos americanos quando seu submarino encalhou. Após a guerra, Sakamaki voltou para o Japão, casou-se, e posteriormente veio para o Brasil, onde tornou-se diretor da Toyota, só retornando definitivamente ao seu país natal há poucos anos, vindo a falecer em 1999. Outro aspecto que deverá interessar bastante os brasileiros é a descrição das ações do cruzador USS St. Louis (que posteriormente viria para o Brasil, como Tamandaré). O St. Louis foi o navio de maior porte a conseguir sair de Pearl Harbor no dia do ataque, por seus próprios meios. Rompendo pelo canal de saída (onde a velocidade máxima permitida era de oito nós) a 22 nós, para minimizar o risco de ataque por submarinos, o St. Louis rompeu um cabo de aço que cruzava sua trajetória, e manobrou para evadir-se de dois torpedos (presumivelmente lançados por um dos midgets). Disparou a seguir contra um periscópio (que possivelmente era o flutuador rebocado pelo varredor USS Crossbill), e já fora do porto teve que novamente manobrar para evitar um terceiro torpedo. Acompanhado por três contratorpedeiros, o St. Louis deslocou-se então para Barbers Point, a fim de verificar o informe de que uma força de transporte de tropas japoneses estaria de aproximando para um desembarque. Ao custo de US$27.50, o livro é recomendado para aqueles que desejam se aprofundar no estudo dos dias iniciais do conflito aberto entre japoneses e americanos. Publicado pelo U. S. Naval Institute (2062 Generals Highway, Annapolis, MD 21401, EUA –www.navalinstitute.org).