01Dezembro2021



     
   

Segurança & Defesa

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Rússia comemora sucesso no Dubai Airshow 2021

Sergei Chemezov, CEO da Rostec, revelou que a subsidiária Rosoboronexport assinou contratos no valor de US$1,3 bilhão durante o Dubai Airshow 2021. As vendas incluíram aeronaves de combate, helicópteros, ARP e motores. “Por razões óbvias, não podemos revelar os países clientes”, disse ele. Já Alexandre Mikheev, CEO da Roroboronexport, declarou a repórteres ter recebido pedidos para aviões, helicópteros e drones no valor de US$2,5 bilhão.

Em termos de helicópteros, acrescentou ele, a caderneta de encomendas da empresa chega a quase 200 unidades, e detalhou: “Atualmente, nosso portfófio no segmento de asas rotativas chega a cerca de US$4,2 bilhões, sendo de 42% a parcela referente à Força Aérea, e 31% destinados à defesa aérea”.

Entre todas as edições do evento, essa foi a que teve a maior presença de aeronaves russas, incluindo a esquadrilha de demonstrações aéreas “Russian Knights”, com nove Sukhoi Su-27. A sensação do Dubai Airshow foi a aeronave de combate Sukhoi Checkmate, que espera repetir a história de sucesso do MiG-21, uma das aeronaves de combate produzidas em maior quantidade. O Checkmate destina-se a exportação, mas assim que se tornar operacional com as Forças Aeroespaciais russas receberá a designação Su-75.

Entre as novidades na feira estavam os helicópteros Mil Mi-28NE Night Hunter e Kamov Ka-52, ambos capazes de operar de dia e de noite e podendo empregar uma impressionante variedade de armas inteligentes. Pela primeira vez essas aeronaves foram mostradas em conjunto com mísseis — o Vikhr e o A305E, cujos alcances de engajamento são, respectivamente, 10kme 15km. Esses mísseis foram desenvolvidos por duas subsidiárias da “holding” High Precision Weapons: Shipunov KBP, sediada em Tula, e a KBM, sediada em Kolomna.

O helicóptero de menor porte Ka-226T, produto da “holding” Russian Helicopters, fez sua estreia internacional na feira dos Emirados. A aeronave é otimizada para operação em grande altitude, e por isso recebeu o nome de “Climber”. O novo projeto da célula e da fuselagem melhorou as características aerodinâmicas; construído com materiais leves modernos, o Ka-226T é dotado de sistema de combustível resistente a impactos, para atender requisitos especiais de segurança.  Para assegurar operação segura e de boa relação custo/benefício, o helicóptero recebeu um pacote de aviônicos no estado da arte, e seu conceito modular o faz um “pau para toda obra”, podendo realizar tarefas de transporte de passageiros ou carga, Busca e Salvamento e evacuação aeromédica, o que atrai o interesse de operadores civis e militares. O modelo está sendo produzido em série na Ulan-Ude Aviation Plant, localizada no extremo oriental da Rússia, e já foi escolhido para atender ao programa de helicópteros leves do Exército e da Força Aérea da Índia, que engloba um total de 200 exemplares.

O leque de produtos russos foi completado com a ARP de ataque Orion-E, versão de exportação da aeronave, que foi exposta juntamente com o armamento que pode transportar. Anteriormente, já havia sido anunciado que essa ARP do tipo MALE (Medium-Altitude, Long Endurance) havia sido testada em operações antiterrorismo na Síria. Segundo Alexander Mikheev, a Rosoboronexport já recebeu “diversos contratos de exportação, que atualmente estão sendo cumpridos”. A aeronave pode transportar uma carga útil de 250kg e voar 24 horas em altitudes de 9.000m. Segundo um “press release” divulgado pelo fabricante, a empresa Kronshtadt, está construindo uma nova fábrica na região de Moscou para produzir várias dúzias de exemplares por ano, para clientes locais e estrangeiros, nas versões civil e militar (Texto de Yuri Laskin e fotos de LAGUK-Media).


Acima
 O míssil “fire-and-forget” A305-E faz parte do armamento do Mil-28NE Night Hunter.


Acima
A ARP de combate Orion-E é do tipo MALE, e pode empregar mísseis Vikhr.