18Setembro2017

 

 

 

 

Segurança & Defesa

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

By Any Means Necessary

Com capa dura e quase 400 páginas, essa é a primeira edição dessa obra de William E. Burrows, publicada por Farrar, Straus and Giroux (19 Union Square West, New York, NY 10003 – USA). Nela, o autor descreve os vôos secretos de espionagem realizados pelos americanos contra a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas e seus aliados, principalmente durante um intervalo de doze anos (1959-1970) situado aproximadamente “no centro” do período da chamada Guerra Fria.

As rotas de tais vôos variavam de linhas paralelos ao litoral do país “adversário”, tentando recolher dados sobre seus sistemas de vigilância e direção de tiro, até penetrações profundas e sobrevôos diretos para fotografar pontos sensíveis. Embora cuidadosamente mantida, em sua maior parte, longe dos olhos e ouvidos do público, essa “guerra” escondida causou inúmeras baixas, resultando em morte e/ou aprisionamento de vários de seus participantes. Grande parte desses vôos transcorreu sem incidentes, mas — a despeito de todos os cuidados para evitar que isso ocorresse — em alguns deles houve reação e aeronaves foram abatidas. O primeiro capítulo, aliás, historia exatamente um desses casos, quando, em 29 de julho de 1953, um RB-50G do 343d Strategic Reconnaissance Squadron da USAF, em missão de reconhecimento eletrônico sobre o mar, próximo a Vladivostock, foi atacado e derrubado por dois MiG-17 russos. Nesse caso, houve sobreviventes, e alguns desses foram recolhidos pelos americanos, mas em várias outras situações semelhantes toda a tripulação foi perdida. Um fato impressionante é que o governo americano invariavelmente adotou a política de negar o verdadeiro objetivo de tais vôos (em alguns casos, o faz até o presente), por vezes privando os próprios familiares de informações sobre seus entes queridos, mantendo a chama da esperança acesa quando sabia que as pessoas em questão estavam mortas. Os tipos de aviões envolvidos nos incidentes relatados são variados, entre eles RB-50, RB-47, RC-130, EC-121, PB4Y, P2V, RB-29, P4M, etc. São interessantíssimas, por exemplo, as narrativas daqueles tripulantes que foram capturados pelos russos, mantidos como prisioneiros e posteriormente libertados O livro é mais baseado em experiências pessoais do que simplesmente na transcrição de documentos oficiais, e esse é exatamente um de seus atrativos.